Ortodoxia - G. K. Chesterton

Opções disponíveis:

 Numa época em que a Europa dava os primeiros passos para se tornar uma sociedade pós-cristã, um intelectual de grande calibre, cansado do cinismo reinante e do fascínio despertado por novas ideias, resgata o núcleo da fé cristã como o suficiente para dar sentido à existência humana.

Ao contar a sua jornada espiritual, G. K. Chesterton faz saber à intelligentsia europeia da primeira metade do século XX que o socialismo, o relativismo, o materialismo e o ceticismo estavam longe de responder às questões existenciais mais profundas. E quando questionado sobre as aparentes contradições da fé cristã, Chesterton era um mestre em valer-se do paradoxo para apresentar a simplicidade do senso comum.

O seu estilo incisivo e a facilidade de se rir de si mesmo tornaram célebres os seus debates com intelectuais da época, como George Bernard Shaw, H.G. Wells, Bertrand Russell e Clarence Darrow.

Dono de uma pena arguta, subtil e envolvente, Gilbert Keith Chesterton deixou marcas inesquecíveis em mestres da literatura como Hemingway, Borges, García Márquez e T. S. Eliot. Como se não bastasse, os seus textos influenciaram decisivamente líderes de movimentos de libertação como Michael Collins (Irlanda), Mahatma Gandhi (Índia) e Martin Luther King (Estados Unidos).

Cem anos depois, Ortodoxia é um clássico da literatura que merece (e deve) ser revisitado.

«As pessoas adquiriram o tolo costume de se referir à ortodoxia como se fosse uma coisa pesada, enfadonha e segura; a verdade é que nunca houve coisa mais perigosa, nem mais animada, do que a ortodoxia.»

G.K. Chesterton, in Ortodoxia

 

Se por acaso acredita que a ortodoxia é algo enfadonho e previsível, G. K. Chesterton, um dos gigantes literários do século XX, apresenta uma explicação lógica e muito pessoal para o Cristianismo na sua forma apologética.
Gilbert Keith Chesterton era, segundo ele próprio se intitulava, um pagão aos 12 anos e completamente agnóstico aos 16. No entanto, a sua viagem espiritual acabou por conduzi-lo a uma interpretação muito pessoal do Cristianismo bíblico.
Relato das experiências de Chesterton, Ortodoxia une os séculos e dirige-se aos leitores de hoje que enfrentam os mesmos desafios de há um século. Nesta obra, escrita há mais de um século para acompanhar a sua obra «Heretics», o ensaísta e filósofo lança o debate em torno dos chamados valores modernos e rebate todo o conceito de «ortodoxia», comprovando que este não está directamente relacionado com o conservadorismo.

 

Autor: G.K. Chesterton
Páginas: 231
Tamanho: 14x21 cm
Código: 276001